Técnica também ajuda a eliminar fobias.

Os avanços da neurociência revelaram a maleabilidade e a capacidade do cérebro de se recompor, mesmo em idades avançadas. Esse recurso foi aproveitado por cientistas do Japão, EUA e da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, para criar confiança de modo artificial. Para isso, os pesquisadores utilizaram uma técnica conhecida como “Decoded Neurofeedback”, que consiste em induzir conhecimentos em uma pessoa, aumentando a atividade neuronal em zonas específicas do cérebro.

A pesquisa analisou (por meio de uma tomografia computadorizada) 17 voluntários, detectando neles padrões de atividade neuronal associados a estados de autoconfiança elevada. Foi entregue a cada participante uma pequena recompensa monetária todas as vezes em que esse padrão era detectado nos seus cérebros.  Esse reforço positivo foi a chave para fortalecer o padrão cerebral de modo inconsciente para os voluntários. Ao final do estudo, as medições cerebrais indicaram um aumento na autoconfiança dos indivíduos.

Cerveau shutterstock - Cientistas manipulam cérebro e conseguem transformar medo em autoconfiança

Essa mesma técnica foi utilizada para eliminar fobias e medos em um estudo feito em novembro do ano passado e publicado na Nature Human Behaviour.  A pesquisa foi capaz de criar uma memória de medo com pequenos choques elétricos associados a uma imagem.  Uma vez que o padrão de atividade neuronal relacionado a essa lembrança foi detectado, os pesquisadores o reescreveram, associando-o a uma recompensa.

Bolt - Cientistas manipulam cérebro e conseguem transformar medo em autoconfiança

Os resultados demonstraram que é possível reduzir a memória do medo sem experimentar conscientemente a lembrança que o produz.

Comentários

Comentários

Share.