Trata-se de um trabalho milenar, que é exercido há séculos pela população da província equatoriana de Chimborazo.

Os avanços tecnológicos deram fim a muitas profissões e esse poderia ser o caso do último cortador de gelo, herdeiro de um ofício ancestral. A província de Chimborazo leva esse nome por causa do vulcão mais alto do planeta, com 6.263 metros de altitude, situado nessa região do Equador. Lá, é possível encontrar Baltazar Ushca, que, desde os 15 anos, dedica-se a coletar gelo no vulcão.

Hoje, ele tem 74 anos e, como no primeiro dia, percorre um longo caminho de Guano, sua cidade natal, até um determinado ponto do vulcão, a 4.700 metros de altura, para coletar o gelo que, posteriormente será usado nos sucos do mercado central da cidade de Riobamba.

equador baltazar ushca - O último herdeiro da profissão mais estranha do mundo

Baltazar trabalha atualmente com seu genro Juan Ushca, que é também sócio e aprendiz do ofício de cortador de gelo. Juntos, eles cortam o gelo com um machado, envolvem-no com cordas de palha de fabricação própria e o transportam no lombo de um burro até Riobamba.

Apesar de não ganhar muito, seu ofício é um dos mais respeitados e queridos da comunidade de Guano, onde Baltazar tem seu próprio museu, um local onde guarda as façanhas e proezas que realizou no topo do mundo.

Comentários

Comentários

Share.